quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

O amor torna tudo novo de novo ♫

Perdão, eu meio que me confundi com a música, eu queria aquela do Natal e do ano novo também, mas quem liga?

Antes de tudo, feliz ano novo a todos. :} Eu estou meio emocionada, afinal essa é a ultima vez que eu escrevo no blog no ano de 2010. *-* {melosa}

Como sempre eu não sei sobre o que escrever, mas se mesmo escrevendo porcaria eu já tenho quase 5mil visitas continuar assim não vai fazer mal, né?

            Eu tenho boas lembranças de viradas de ano. Vou contar algumas, e espero receber umas em troca nos comentários.

1ª lembrança: Desde que eu me lembro por gente eu passo o ano novo comendo alguma coisa, já foi desde pipoca bokus com balinha 7 belo até Milk Shake de chocolate com castanha, eu tento deixar pra comer depois, mas não dá, é maior do que eu.

2ª lembrança: Eu sempre vou à missa no dia 31, sempre, desde molequinha de colo. Pra muitas pessoas isso é chato, mas não pra mim, é tradição, afinal eu nasci no berço de uma família católica tradicional e tenho muito orgulho disso. *-*

3ª lembrança: Nós nunca brigamos no ano novo aqui em casa, acho que é tipo uma superstição, então se alguém tem uma bomba pra soltar é melhor que seja no ano novo, dessa maneira ninguém irá brigar, né? Mas acho que não é bom começar o ano brigando.

4ª lembrança: Essa é a mais “ownti” de todas, como alguns de vocês sabem, eu tenho uma poodle linda, Priscila (sim, é por causa da TV colosso –‘), em um belo dia ela saiu de casa e engravidou de um vira-lata. E advinha em que dia os filhotes nasceram? Exato, dia 31. Passamos a virada do ano fazendo o parto da minha cadela, comendo gelatina e vendo minha mãe vomitar (de acordo com ela a gelatina lembrava a placenta, aí já sabe).

5ª lembrança: Eu fui pedida em casamento na virada do ano, pois é, por um bêbado que só tinha três dentes, foi tão lindo eu nunca vou me esquecer, mas eu tive que recusar, cês sabem eu era muito nova, aí ele me disse que “ viria me buscar quando eu estivesse mais velha” . Por isso, no dia 31 de dezembro do ano eu fico linda, esperando o meu prinspo vir me buscar. :p

E sim, é tudo verdade.

Feliz ano novo pessoal, e que no próximo ano todos nós estejamos aqui pra dizer o que deve ser dito. 

p.s.: PAREM DE ME MANDAR RECADOS DE FELIZ ANO NOVO NO ORKUT!

sábado, 25 de dezembro de 2010

Então é Natal ♫

Olá, pessoal.

Passando apenas pra desejar do fundo do coração um ótimo Natal para todos, e já antecipando, um feliz ano novo.

Que nesse novo ano vocês tenham coisas melhores pra fazer do que ler o blog, que possam criar coragem e comentar nos textos e que eu consiga postar de 5 em 5 dias.

Boas festas, galera. :D

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

I've be there for you♫


Antes de tudo, eu gostaria de revelar que me tranquei no quarto pra poder conseguir escrever algo pra você hoje.

Eu te conheço há 16 anos, se isso fosse uma vida, a pessoa que a vivesse estaria no ensino médio, provavelmente curtiria rock e usaria roupas pretas.

Seria um tanto excluída porém feliz? Seria alguém ocupada que não teria muito tempo pros amigos, mas ainda sim não deixaria de amá-los?  Talvez ela já tivesse um namorado (a) e talvez até perdido a virgindade.Ela poderia gostar de sair pra festejar, beber, dançar, poderia até mesmo pensar em suicídio.

Afinal, ela teria 16 anos e estaria começando a viver a vida, talvez ela até fosse como eu. Mas eu me pergunto se ela teria a sorte conhecer alguém como você.

  Eu não me sinto mais capaz de te chamar de melhor amigo, somos mais do que isso, nós somos irmãos, porém, eu me tornei a irmã mais velha que foi embora de casa.

  Eu conhecia seus gostos, fazia parte das suas alegrias e das suas tristezas, eu brigava com você e sempre balançava a cabeça quando você dizia “me desculpe”, eu sempre estava lá com você.

  Porém, hoje as coisas não são mais assim, eu sinto que a nossa amizade é como a areia da praia em minhas mãos o vento passa e aos poucos eu me vejo perdendo você e claro os momentos que passamos juntos.

  Você reclama quando eu digo que você não me conta mais nada, porém, a culpa não é só sua, o tempo tem sido o pior inimigo da nossa amizade, ele insiste em passar rápido e eu não consigo encontrar um espaço pra sequer ir na sua casa e te perguntar “Tudo bem? E as novidades”.


  Eu não irei mentir, eu poderia não estar perdendo tempo escrevendo isso pra você agora, eu poderia ter ido na sua casa e te falado isso pessoalmente, porém, hoje eu percebi que eu não faço parte do seu ciclo de amigos íntimos e , embora isso doa demais, eu prefiro não te ver a enxergar o meu posto no seu novo patamar de amizade.  Mas o que mais doeu, foi tentar achar uma foto só nossa atual e demorar tanto tempo pra achar e mesmo assim só encontrar duas.

Sobre isso, eu só peço que você me perdoe, ou que pelo menos tente entender.

Mas lembre-se, quando você se sentir só, quando algo não der certo, ou até mesmo quando nenhum dos seus novos amigos estiver em casa, eu estarei aqui pra você, porquê eu te amo, como só um amigo amaria. Apenas não se esqueça disso.

Feliz aniversário, meu amado amigo.

E me perdoe por eventuais erros de português, devido ao fato de eu não conseguir digitar sem olhar para as teclas e a minha visão turva me impossibilite disso.  
Sua amiga  conhecida,  Camila.

sábado, 4 de dezembro de 2010

Um dia irá acabar. Eu sei disso.

Eu nunca desejei algo com tanta fé, nunca tive tanta ânsia de alcançar, nunca esperei com tanto vigor que esse momento chegasse, nunca senti um peso tão grande, algo que me impedisse que querer continuar, algo que se um dia acontecer ( sim, eu estou começando a duvidar) vai me fazer  mais feliz, por eu saberei que acabou e que nunca mais voltará. Sim, eu estou falando sobre o ano de 2010.

De longe esse dói um dos anos mais enfadonhos, chatos, irritantes e ao mesmo tempo envolvente que eu já tive. Nesse ano, eu criei o blog, fiz novas amizades através dele, desenvolvi ainda mais meu senso crítico, parei de roer minhas unhas, voltei a ser loira e entrei na academia. Ré.

Compreendi que a amizade está cada vez mais rara, e que nos dias de hoje é mais fácil encontrar um carteira repleta de dinheiro no meio da rua do que encontrar um bom e verdadeiro amigo.

Entendi que o amor por vezes não é aceito ou correspondido e que na maioria das vezes isso se torna um grande problema, com direito a brigas e inimizades.

Aceitei minhas responsabilidades, aprendi a lidar com as dificuldades, com a falta de coragem, com a dor, com a ira e com a inevitável frieza de coração.

Tornei-me mais forte, comecei a ver o mundo de outra forma, comecei a enxergar além do que meus olhos poderiam ver.

Comecei a não suportar, a me recusar a conversar, a querer ver arder certas pessoas que infelizmente existem na minha vida.

Voltei a amar, lentamente, voltei a reparar nas qualidades, fingir que os defeitos não existiam, aí descobri que isso tudo, no momento, não valia a pena. Não porque o amor não presta, ou não existe, apenas, pra mim, no momento ele não serve, e não me venham com reclamações!

Pra mim, foi difícil, complicado, cansativo, porém de certa forma reconfortante. Assim como todos os outros ele irá acabar.  Mas e você? Como foi pra você? Você compartilhou comigo algum desses momentos? Ou como a grande maioria, apenas contenta-se em ler e pensar sobre como as minhas faculdades são doentias?  Tudo bem, eu sei que são. Mas a loucura me proporciona mais do que alguns textos simples, não acha?

Boas festas pessoal.

Disse? Tá dito!

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Rima puramente pobre

Hoje eu percebi o quanto pequenas coisas influenciam meu humor, percebi também que demorou um pouco pra que a falta dessas coisas me fizesse chorar. Chorar de desespero ao saber que não dei valor a isso quando eu o tinha. Hoje eu percebi que eu sinto falta dessas pequenas coisas. 


Sinto falta de andar de braços dados
De um abraço apertado
De um sorriso amarelado

Sinto falta de uma piada mal contada
De uma amiga lezada
De falar mal de uma prima meio tarada


Eu sinto falta não me sentir incapaz
De não perceber a falta que faz
E de ter alguém que me dê paz.

Eu sinto falta do meu grupinho
De ficar com segredinho
E de como tudo era inho.

Eu sinto falta de falar com seu braço
De sentir seu abraço
E de reclamar sobre o quanto você é alto. (não rima eu sei)

Eu sinto falta de falar sobre fé
De voltar a pé
E reclamar como você anda ‘de ré’

Eu sinto falta de um abrigo
Eu sinto falta de um verdadeiro amigo.
E você, sente falta de mim?

Disse? Tá dito.

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Eu prometo.

Sim, dessa vez é sério, eu vou voltar a escrever. Por quê? Sei lá, deu vontade, tive uma inspiração momentânea vinda do céu{?}, na verdade eu apenas voltei a sentir a vontade de escrever ao ler um blog novo.

Aproveitando pra fazer a propaganda, visitem http://www.mattsonranier.blogspot.com/ ( Mattson, agora tu me deve dez real u_u ).

Voltarei a escrver com uma cordem cronológica de 5 em 5 dias, certo? ( Voltar? Comassim voltar? Desde quando essa bagaça teve ordem alguma, à vá!)

 Afinal, escrever é mais do que falar um monte de besteira,  sobrealgo que deu na mídia ou algum causo que ocorreu com você. É passar suas emoções e seus pensamentos através de uma tela, e por mais que pareça, não é tão fácil assim.

 Eu perdi essa capacidade de passar o que eu sentia, talvez por não saber como colocar meus sentimentos ou talvez por não sentir absolutamente nada.

Um incidente que ocorreu esses dias me fez pensar, não devemos esconder o que sentimos, mesmo que alguém acabe com o braço machucado por isso.

Então, eu resolvi voltar, voltar a falar besteira, me revoltar com algo da TV, mostrar algo que eu escrevi como um conto ou um poema ou apenas pra contar algo que aconteceu comigo.

E cabosse.

Disse? Tá dito. :*

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

O que eles tinham de comum, afinal?

Ela gostava de desenhar, era comum, suas unhas sempre estavam sem cor nenhuma e com o couro do canto do polegar arrancado, o que na maioria das vezes fazia o mesmo sangrar,  ficava bem de laranja (francamente, quem fica bem de laranja? ) ou seja ela não era perceptível.

Ele? Ah, ele era o tipo que não tinha tipo, sabe? Quer dizer, sabia-se que ele gostava de computadores, era goleiro do time de pólo aquático (lê-se totalmente desvalorizado de condição física) e tocava bateria imaginária enquanto ouvia uma música que o empolgava.

Os pais dela eram um casal normal, que vivia uma vida normal, com empregos normais e que tinham, por sinal, tinham mais além de normalidade em comum, os dois tinham a mesma palavra favorita, adivinhem qual?  Não, não a palavra não é ‘normal’.

Os pais dele? O pai  morava em outra cidade, tinha outra família por lá, mas sempre ligava nas datas necessárias e nunca esquecia de mandar algo inútil no natal e no aniversário do tal rapaz.  A mãe? Ah, ela trabalha, trabalhava demais, tinha 2 empregos. Trabalhava tanto que pra ele, o tal rapaz, ela era apenas um vulto branco que passava na sua porta às 5 da matina gritando para que ele acordasse.

Ela contava nos dedos de uma única mão os caras com quem já havia ficado, amou cada um deles, mas sua normalidade incomodava os galantes pretendentes, chamavam-na de ‘sem sal’.

Ele? Jamais havia beijado uma garota, mas para não pagar de idiota, mentia e falava que coleira incomodava.
Resposta da pergunta inicial: nada. A não ser o fato do gostarem de atum.

Num dia de chuva, porque nem toda estória começa com um belo dia de sol , o tal rapaz e a tal moça continuavam vivendo a suas vidinhas.

Ela? Além de ter acordado tarde para escola, adormeceu e perdeu o ponto, quando acordou, já eram mais de 9 e meia e o cobrador gritava algo como “ Ei, moça, acorda!”. Ela fez o que qualquer cristão em sã consciência faria, xingou mentalmente o despertador, a mãe, o cobrador e por fim a si mesma.  Desceu ali, nunca tinha ido praquelas bandas. Como chovia ela correu pro lugar mais próximo, entrou, percebeu que algo ali cheirava bem, colocou a mão no bolso, é ela tinha alguns trocados pro “lanche” da escola.

Ele corria do ponto de ônibus até uma lanchonete muquefinha do outro lado da rua, sempre comia lá, tinha desconto, sua mãe era garçonete lá após as 19 horas da noite. Mas era hora do almoço.  Entrou rapidamente, estava lotado e ele encharcado.  Comprou o de sempre, sanduíche de atum. Comeu ali, no balcão mesmo, ele era ‘ de casa’.

Ela já havia tomado café e agora lia o cardápio para almoçar, pediu um sanduíche de atum, tinha aprendido a gostar de atum com o seu gato, seu nome era Boris, ele era gordo, gostava de atum. 

Ele terminou de comer e ficou conversando com uma das mulheres descabeladas e mal vestidas que ficavam atrás do balcão.

Ela terminou de comer, correu até o balcão, interrompeu, mas de uma forma educada, a conversa do rapaz e da tal mulher, entregou uma nota de 5, sorrindo. Mas o sorriso não durou muito, o 'lanche da escola' tinha dado 6 reais. É ela nunca foi boa em matemática.

Ela sorriu e disse algo como: “pendura na minha conta”. Por quê? E eu que sei, talvez ele tivesse acordado de bom humor hoje. Ou talvez tenha reparado nos olhos cheios de lágrimas da garota. Não, ele não era idiota, mas sabia que uma garota que estudava numa escola particular de renome não andaria por aí tentando tirar dinheiro de velhinhos ou de pessoas inocentes.

Ela fez algo repentino. Arrependeu-se, claro. Afinal, abraçar um desconhecido não é algo muito comum. Após perceber, recuou, pediu desculpas.

Ele apenas sorriu e disse algo do tipo: “Não precisa se desculpar, eu aceito um obrigado.”

“Obrigada”- Foi o que ela disse.

Resultado? Dois filhos e um casamento feliz. É o amor surge nas pequenas coisas.


Disse? Tá dito.


domingo, 12 de setembro de 2010

Comunicado.

O texto aqui presente foi retirado após, eu, a autora comprovar que o amor não complica, mas sim machuca.

Obrigada a todos que comentaram e mostraram sua opinião.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

E quem é vivo, sempre aparece.

Não me matem agora, eu posso explicar!  Tá, eu sei, eu quase abandonei o blog, mas eu voltei, podem sorrir e voltar a ser feliz agora. :D

Peço perdão a todos que me cobraram textos novos e eu dei uma bela ( e falsa) desculpa, por preguiça. Mas é sério, toda blogueira ou blogueiro precisa de férias, principalmente uma como eu que é desconhecida desse mundão da net.

Não vou perguntar como foram as férias, porque, afinal, elas acabaram a mais de um mês. #FAIL Mas desejo eu tenham sido as melhores, para compensar as minhas que foram basicamente: comer, dormir e comer. ;D

O texto é breve, apenas pra marcar a volta. Escreverei mais depois... É sério, não estou mentindo, não agora.

Por fim, um quadrinho que achei por aí, cruel, mas sincero.  


Disse? Tá Dito. :*


terça-feira, 20 de julho de 2010

Pra gente ser feliz tem que cultivar as nossas amizades os amigos de verdade .. ♫

Não é que eu seja aquele tipo de pessoa revoltada com tudo, mas me digam por quê ? Por que nós precisamos comemorar o dia do amigo? Porque precisamos comercializar isso também ? Esse sentimento tão bonito que é a amizade.  Eu saí hoje mais cedo e ouvi essa pérola: “Tenho que comprar algo pra fulana, porque se não ela vai achar que eu não lembrei do dia do amigo.” – Porra, quer dizer que pra alguém lembrar o quanto ela é importante pra mim eu preciso dar um presente pra ela?

Acontece o mesmo no dia das mães, no dia dos pais, no dia dos namorados, você só mostra o quanto essas pessoas são importantes pra você no dia delas e essa importância muitas vezes aparece por meio de presentes fúteis. Você vê seus amigos com certa freqüência, mas você só fala pra eles o quanto eles são especiais hoje, no “Dia do Amigo, eu me incluo nisso também. Eu esqueço ou tenho vergonha de abrir meu coração pra vocês, amigos, e só crio coragem hoje.

Mas isso está errado, eu, você e o resto do mundo (que pensa) sabe que está.

Então, me perdoem, me perdoem por não falar todo santo dia em que encontro vocês o quão importantes vocês são pra mim.  O quanto vocês me fazem feliz. E principalmente o quanto eu gostaria de que vocês estivessem sempre presentes nessa minha vidinha.  Obrigada por terem ficados calados quando eu tomei na boca da garrafa, por preguiça de pegar um copo. Obrigada por terem chorado comigo no final daquele filme. Obrigada por ouvirem as minhas piadas sem graça. Obrigada por terem ficado guardando caixão pra mim no esconde-esconde.  Obrigada pelo brigadeiro de panela.  Simplesmente obrigada.

E agora , um texto, que não é meu, mas eu gosto:

Tenho amigos que não sabem o quanto são meus amigos. Não percebem o amor que lhes devoto e a absoluta necessidade que tenho deles.

A amizade é um sentimento mais nobre do que o amor. Eis que permite que o objeto dela se divida em outros afetos, enquanto o amor tem intrínseco o ciúme, que não admite a rivalidade.

E eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos! Até mesmo aqueles que não percebem o quanto são meus amigos e o quanto minha vida depende de suas existências ...

A alguns deles não procuro, basta-me saber que eles existem. Esta mera condição me encoraja a seguir em frente pela vida. Mas, porque não os procuro com assiduidade, não posso lhes dizer o quanto gosto deles. Eles não iriam acreditar. Muitos deles estão lendo esta crônica e não sabem que estão incluídos na sagrada relação de meus amigos. Mas é delicioso que eu saiba e sinta que os adoro, embora não declare e não os procure. E às vezes, quando os procuro, noto que eles não tem noção de como me são necessários. De como são indispensáveis ao meu equilíbrio vital, porque eles fazem parte do mundo que eu, tremulamente construí, e se tornaram alicerces do meu encanto pela vida. 

Se um deles morrer, eu ficarei torto para um lado. Se todos eles morrerem, eu desabo! Por isso é que, sem que eles saibam, eu rezo pela vida deles. E me envergonho, porque essa minha prece é, em síntese, dirigida ao meu bem estar. Ela é, talvez, fruto do meu egoísmo. 

Por vezes, mergulho em pensamentos sobre alguns deles. Quando viajo e fico diante de lugares maravilhosos, cai-me alguma lágrima por não estarem junto de mim, compartilhando daquele prazer ... 

Se alguma coisa me consome e me envelhece é que a roda furiosa da vida não me permite ter sempre ao meu lado, morando comigo, andando comigo, falando comigo, vivendo comigo, todos os meus amigos, e, principalmente os que só desconfiam ou talvez nunca vão saber que são meus amigos! 

A gente não faz amigos, reconhece-os.

(Vinícuis de Moraes)



Com vocês eu deixo , 
meu melhor sorriso, meu maior abraço, minha melhor história, minha melhor intenção, toda minha compreensão, e da minha amizade, a maior porção. 








Disse? Tá dito. :*

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Amizade Predatória

Novamente eu me sento nessa cadeira de plástico branco, mas que devido ao tempo mas aparenta ser amarela. Nunca sei o que escrever, pra quem ou porquê. Isso pode explicar muitas coisas com relação à qualidade desse blog.  Mas afinal o que vocês esperavam, eu tenho 16 anos e passar para a tela de um computador o que eu penso não é lá tão fácil.

Antes fora, no tempo em que o que eu tinha dentro do peito poderia ser chamado de coração, no tempo em que eu confiava e acredito que todo o sentimento era puro e simples. Pobre criança que fui.

É impressionante como o tempo e certos fatos mudam sua forma de enxergar certas coisas. Simples momentos que podem de transformar numa pessoa melhor ou destruir partes que existiam e você nem sabia.
Falo por mim, antes eu era simpática, eu sorria e acreditava em todos, era fácil, era simples, era puro. Mas, como a vida sempre te ensina alguma coisa... Fatos aconteceram e eu virei isso.

Sim, isso. Arrogante, crítica, cruel ou megera (como diria a @luiza__). Parei de confiar em pessoas que realmente mereciam um pouco que reciprocidade e que de fato, queriam apenas o meu bem.
Tudo isso por? Tudo isso por alguém que nunca vai entender o real valor de uma amizade. Por alguém que usa seus amigos como peças em um jogo de xadrez manipulando-os e sacrificando um ou outro quando acha isso necessário.

Para alguns, isso ainda é amizade. Se você concorda que isso é uma amizade, suma daqui. Chispa. (?)  u_ú
E para você que, assim como eu, acha isso tudo uma #putafaltadesacanagem vamos, junte-se a mim e vamos xingar muito no twitter. Ora essa.

Disse? Tá dito.

terça-feira, 6 de julho de 2010

Manhê, eu quero férias!


Olá, tudo bem? Como vai? O blog está com 2mil visitas e isso me deixa muito feliz, então, obrigada a você, que vem aqui e gasta um pouco do seu tempo lendo meus textos, sério, obrigada de coração. *-*

A falta de criatividade ta matando aqui, então eu meio que precisei pedir ajuda aos universitários (mentira foi ao @simaomedeiros) e eles me deram uma luz. :D

Hoje, nesse dia tão lindo, eu vou falar sobre o Recesso Escolar.


Mas antes, vamos homenagear o grande aniversário de hoje, de uma pessoa que eu realmente admiro: George W. Bush , esse homem tão inteligente, que realmente se importa com a paz e com o meio ambiente, além de ser o melhor presidente que o mundo já viu.- NOT Hoje também é aniversário de Frida Kahlo e Dia Mundial Contra Passageiros Indesejáveis. Legal, né?


Voltando ao assunto, Recesso Escolar. Segundo o Aurélio, recesso é:

1.Retiro, recanto; esconso
2.
Suspensão temporária das atividades do legislativo e do judiciário

Para mim, recesso ou férias escolares é um pequeno descanso muito bem merecido aos estudantes do nosso país que assim como eu não gostam de estudar. Fala sério, passar 200 dias por ano só fazendo algo que você não gosta, definitivamente não é legal. :/

Mas tem algumas coisas que estão erradas nas férias:

1º O período de recesso deveria durar, pelo menos 2 meses.

2º Durante esse tempo, os estudantes deveriam ser terminantemente proibidos de se aproximar de todo ou qualquer tipo de livro didático.

3º Os estudantes deveriam hibernar e não ficar festejando ou correndo de um lado para o outro. Vocês pediram descanso, então DESCANSEM! Ora essa.

4º Os pais deveriam entender que como a nossa vida é difícil. E no período das férias não nos obrigassem a fazer tarefas de casa, tais como: arrumar o quarto, lavar a louça, varrer a frente. Nós estamos de férias, tenham dó. ç_ç

5º e última- Nós, todos nós precisamos entender que o recesso é apenas um tipo de Coffee Break, é apenas algo que nos dá uma energia par continuar, então parem de reclamar quando voltarem das férias! Pensem como eu: falta pouco tempo pro ano acabar e as verdadeiras férias estão por vir.

Boas férias, pessoal.

Disse? Tá dito. :*


quinta-feira, 1 de julho de 2010

Eu sou garota e... NÃO gosto do VDG


O quadro “Eu sou garota e...” vai começar de hoje em diante, onde eu vou falar coisas que eu penso sobre certos assuntos, o dessa semana é VDG.

Eu não gosto do Vida de Garoto por vários motivos, vou listar alguns deles, se você não gosta, que bom. Se você gosta, me xingar não mudará minha opinião. Ah, e eu tenho uma novidade, existem alguns colírios legais(alguns, não todos). :D

1º motivo: O nome é Vida de Garoto, então porque raios a sigla é VDG, não se coloca o ‘de’ na sigla, mas já vi esse erro em outros lugares, como por exemplo DDB ( Deixe de Brincadeira) uma banda de forró local, eu gosto da música deles. (Y)





2º motivo: Na minha singela opinião, eles não são bonitos. Dois deles são magros e eu realmente acho que eles são desnutridos. :/ O outro Federico Devito(é assim que escreve?)... Bem... Em minha opinião ele não é muito macho não, mas nenhum deles é. [apanha] O Devito é argentino, né? Ele falou recentemente que se o Brasil e a Argentina fossem pra final ele ficaria em dúvida pra quem torcer, o porquê dele torcer pro Brasil seja campeão eu não sei, mas no caso da Argentina eu sei muito bem: ver o Maradona pelado. – Hmmmmmmmmm boiola.


3º motivo: Eles não têm talento, exceto um lá que ‘canta’. Acho realmente muito ridículo alguém ganhar fama só com a cara. Não, pra mim eles não são modelos, modelos precisam aprender a desfilar, fotografar entre outras coisas.


4ºmotivo: O pior, como várias meninas idolatram eles a Capricho caí em cima e canais que eram bons acabam com a sua programação colocando essas criaturas no meio. Sim, acho uma puta falta de sacanagem, vou xingar no twitter.


5º e último motivo: Tá, esse é meio fútil, pra mim eles tem cara de gente que não caga. Desculpe, mas é sério. Eu simplesmente não consigo imaginar nenhum deles fazendo força no troninho. Juro.

Bem, esse foi o 1º post do quadro: “Eu sou garota e...” muitos virão e serão melhores que esse, eu juro.

Disse? Tá dito. :*


sábado, 26 de junho de 2010

E essa juventude? Onde enfiou o juízo?



Olá novamente, o @pablo__matheus postou recentemente no seu twitter uma reportagem sobre uma fã do Justin Bieber que se suicidou por não ter a atenção do ‘cantor’.

Eu não acredito no 2012, ou pelo menos, não acreditava até ver essa reportagem.

Uma pessoa tirar a própria vida por causa de um gurizinho(gayzinho, desculpe, homossexual), de 16 anos, com a fala fina e que ainda por cima parece uma menina? Gente, isso só prova o quão a mente da juventude de hoje é afetada.

A minha e a sua vida valem muito mais do que um “Oi” de uma pessoa completamente estranha que aparece na Tv.

Se eu estou revoltada? Sim, estou. Essa reportagem só me fez ter mais raiva desse tipo de coisa/cantor/celebridade. Pelo amor de Deus!

Espero que esteja errada, mais logo, logo essa ‘modinha’ vai pegar. Aí eu quero ver. Quero ver pais prestando atenção na vida dos seus filhos, conversando com eles. Quero ver escolas e igrejas ensinando o valor da vida. Quero ver canais de Tv mostrando música de qualidade, não focando na beleza de fulano ou de sicrano ou a suposta ‘fofura’ de andrógenas como ele (sim, MTV, essa foi pra você). Quero ver VJs com um pingo de noção! Afinal, eles sabem, como ninguém, que um monte de adolescentes se baseia neles pra construir ‘personalidade’.

Enfim, já deu pra reparar, eu não gosto do Justin. Meio óbvio, não é?

Desculpem pela minha revolta, mas eu realmente fico irritadíssima com esse tipo de coisa.

O artigo na íntegra você encontra nesse Blog

http://justindrewbiebernews.blogspot.com/2010/06/menina-se-suicida-por-causa-de-justin.html

Disse? Tá dito. :*

domingo, 20 de junho de 2010

É o Braseel, potaiada.



Pra variar, não consigo começar meus textos com algo útil. Se eu falar: “Oi, tudo bem com você?” vão falar que eu estou imitando o Pc, complicado. Mas, vamos aos fatos.

Hoje, neste lindo dia de sol, eu, a estrela mais brilhante (não ‘-‘) ,vou falar sobre futebol. Ré, isso mesmo, até eu estou no clima da Copa. :D

Eu adoro futebol, gosto mesmo, sério. Mas sabe do que eu gosto mais?? Da capacidade de algumas pessoas, do nosso querido Braseel, que durante 3 anos são completos analfabetos quando o assunto é futebol se tornarem experts. O negócio é sério. Seres, que não sabem nem o que é um pênalti, falam no meio do jogo: “Aposto que ele estava impedido”- você não me engana gracinha.

Pra mim a copa é que nem Sucrilhos: “Desperta o Técnico em você, rawr.”

Outra coisa que vale lembrar é a quantidade de gente que simplesmente mete o pau no Brasil, SEMPRE, mas na copa do mundo vira ‘O Patriota’. Você pode ir na casa dele, e logo na entrada, encontrará uma bandeira, falsificada claro, pregada na parede. Fora os acessórios, completamente inúteis e que você jogará fora assim que a copa acabar, como por exemplo: presilhas, vuvuzelas , esmalte verde e as tão presentes bandeirinhas.

Acho que devemos sim, torcer pelo Brasil, mas devemos lembrar que o nosso país é muito mais que uma seleção.

Tem defeitos? Ô se tem, claro que tem, mas ao invés de criticar porque você não aproveita seu voto para mudar o retrato da política atual, já que a eleições estão aí.

Por isso, torça, grite, pule e vuvuzele (NÃO, NÃO FAÇA ISSO!) bastante. Mas lembre-se que quando a copa acabar, seus deveres como cidadão continuarão. Tá bom, né? Hahahaha.

Antes de ir embora, dá uma passadinha lá no Blog do @adrianodantasjr http://www.euquemfala.blogspot.com/ . Confiram o post dele sobre a copa, eu recomendo. Beijos.

Disse, Tá dito. :*


quarta-feira, 16 de junho de 2010

E isso aí? Quanto custa?

Oi, tudo chuchu beleza? Na Moral do Matagal? Tá bom, chega. Hoje eu vou falar sobre algo meio sentimental: O valor que nós damos as pessoas que passam pela nossa vida.

Nós, eu me incluo nisso também, temos a mania de às vezes, por brincadeira falar: “ Isso não vale nada.”

Depois quando perdemos, aprendemos o quanto valia e pior, aprendemos que custou caro. Não damos o devido valor a nada nem a ninguém. Mas por que? Me expliquem, porque eu não entendo.

Por exemplo: quando seu namorado(a) termina com você, o que todos ao seu redor te falam? “ Homem é que nem biscoito, tira um fica 18” ou “Ele(a) num vale nada não mulher(homem), deixe de ser besta, aproveite que agora você pode pegar todos”. Porra! É isso que você acha da pessoa com a qual você compartilhou o seu amor e os momentos bons e ruins? Se for, o que raios passa na sua cabeça?

Não estou dizendo pra você correr atrás dele ou dela, estou dizendo que quando você olhar pra essa pessoa você lembre-se que ela foi uma parte importante da sua vida, que ela faz parte da sua história. Não finja que ela não existe, ou pior que ela não significa nada pra você. Isso também vale para todo e qualquer amigo, colega e familiar que passou pela sua vida.

Eu estou falando isso porque há exatamente 2 dias alguém que já foi muito especial pra mim e havia saído da minha ‘permanentemente’ voltou pra ela. Eu não imaginava que isso aconteceria, lembro de olhar para alguma coisa que lembrava essa pessoa e simplesmente não conseguir segurar o choro. Quando esse alguém se foi eu achei que superaria, superei bem né? Chorando como uma menininha. Porém, Deus me deu outra chance. Uma chance de fazer as coisas fluírem de uma forma certa.

Por isso, não se neguem a dar uma segunda chance, lembre-se do valor que essa pessoa representa pra você. Às vezes por um pouco de fé nas pessoas muda muito as coisas.

Hahaha, Sentimentalismo + Camila , será que essa mistura dá certo?

Disse? Tá dito. :*


sábado, 12 de junho de 2010

Dia dos Namorados sem um namorado? Saiba o que fazer.


Olá, seja bem vindo, novamente. Antes de tudo feliz dia dos namorados a vocês que possuem alguém para comemorar esse dia tão... “cuti-cuti” .

Calma, eu não esqueci de vocês, a grande quantidade de pessoas que assim como eu são um bando de encalhados que durante todo ano estufam o peito e falam: “Eu sou solteiro(a)” ou “ Pra que eu quero algemas, quero ser livre pra aproveitar a vida”. Mas justo nesse único diazinho, nessas tão curtas 24h só tem uma vontade: arrumar alguém.

Vocês acham que o dia está difícil? Então meus amores, vamos as dicas:

Dica nº1: Essa aqui é pra vocês encalhados que acreditam numa boa simpatia, dica da minha amiga diva @luiza__ do www.descobriquenaopresto.blogspot.com . Reúnam se em um grupo, cerda de 3 pessoas, aluguem Titanic, coloquem a imagem de Santo Antônio para assistir com vocês , quando terminarem, peguem um copo com muito gelo e água, então olhe para a imagem e diga: É Santo Antônio, o senhor viu o que aconteceu com o Jack na água, morreu. Agora faça o seu trabalho. P.s: A Luiza garante, hoje todas as 3 estão namorando. (Talvez eu tente essa aí mais tarde.)

Dica nº2: Passe o dia inteiro vendo filmes tristes e escutando músicas melosas. Chore, sem parar, afinal o que é a vida sem um bom drama? Esperneie, finja um suicídio, grite escandalosamente amaldiçoando todo e qualquer casal feliz nesse dia, diga que irá para um convento e que vai morrer sozinho(a) como um(a) velho(a) solitário(a) pelancudo(a). Se adianta? Bem, isso eu não sei, mas pelo menos você pode rir de si mesmo depois.-n

Dica nº3: Saia com um bando de amigas, solteiras também, vão à festa, dancem, bebam, usem drogas, acordem na cama com alguém que você nunca viu na vida, engravide e obrigue-o a casar-se com você, ou pelo menos pagar pensão alimentícia. Nesse caso, você poderia até desencalhar, mas antes arrume um bom advogado e uma clínica para fazer o exame de DNA. Acabe com a sua vida de vez.-n

Dica nº4:Vai beber, afogar as mágoas, mas o tempo inteiro falando que você gosta ‘mermo’ é de ficar solteiro, pra pegar geral, mas na verdade, machão, tu só queria alguém pra estar do seu lado, bem, pelo menos nesse dia. Beba até cair, fique em coma alcoólico, algo que já é rotineiro pra você, afinal isso é tão másculo , né? –n

Dica nº5: Por fim, minha preferida, passe o dia inteiro comendo, de tudo, chocolate, sorvete, pizza, hambúrguer e docinhos em geral. Coma, pra se sentir melhor. Coma bastante, muito mesmo, engorde 5kg em um só dia, desse jeito, gorda feito uma porca você com certeza vai arrumar alguém, afinal, quem se importa com aparência, “quem vê cara não vê coração”.- Hahahaha, vai nessa.

Gente, é só um dia, um dia um pouco mais difícil de ser agüentado, mas nada que a força de vontade não resolva. Assista uma comédia com seus amigos, durma o dia inteiro, aprenda a falar mandarim, ou se nada der certo, crie um blog.


Disse? Tá dito. :*

sábado, 5 de junho de 2010

Amor? Cadê você?

Oi, desculpem pelo atraso eu realmente deveria ter postado à uns dias atrás, mas a minha vida está uma loucura.

Hoje, eu vou falar sobre o dia dos namorados, eu sei que ainda está meio cedo pra isso, mas porque não dizem isso para a TV?

Afinal, mal começou o mês e adivinha? Os comerciais estão simplesmente COBERTOS de corações, beijos e produtos vulgares que servem apenas para pessoas com uma falta de criatividade imensa que precisam que a televisão diga o que elas devem comprar para as pessoas que supostamente amam.

Para piorar, se chegar em qualquer loja, haverá cartõezinhos CAFONAS com mensagens prontas e que tocam músicazinhas deprimentes, com ursos, gatos e crianças de abraçando e se beijando. Fora as cestas de chocolates, os ursos enormes, as declarações com os carros de som da mensagem do coração.

Agora me digam, o que raios isso tem haver com o dia dos namorados? Por que temos a mania de comercializar dias que possuem significados tão profundos, como por exemplo: Natal, Páscoa e até mesmo o dia dos namorados. Isso me irrita profundamente. O natal não é o dia em que um velho gordo dá presentes, pros cristãos foi o dia em que Jesus Cristo nasceu. A páscoa não é o dia em que um coelho ladrão de ovos presenteia todo mundo, para os judeus marca o êxodo dos hebreus , a passagem pelo mar vermelho. Para os cristãos marca a paixão e morte de Jesus.

No caso do dia dos namorados: nos EUA é comemorado em homenagem ao Padre Valentine. O bispo romano Valentino desafiou o imperador Claudius II que proibia que se realizasse o matrimônio e continuou a promover casamentos. Preso, enquanto esperava sua execução, o bispo Valentine se apaixonou pela filha cega de seu carcereiro, Asterius. E, com um milagre, recuperou sua visão. Para se despedir, Valentine escreveu uma carta de amor para ela. Foi assim que surgiu a expressão em inglês "From your Valentine". Mesmo tido como santo pelo milagre, ele foi executado em 14 de fevereiro.

Então, vamos prezar pelo verdadeiro amor, o que está BEM além dos cartões, dos chocolates e dos presentes em geral. Não estou dizendo que é ruim ganhar presentes, muito pelo contrário, estou apenas pedindo que você, que tem a oportunidade de estar com alguém que você ama nesse dia, realmente aproveite, e faça valer à pena.

Disse? Tá dito.

sábado, 29 de maio de 2010

Ele é um bom companheiro(x3), ninguém pode negar.



Hoje dia 29 de maio é o dia dos :

§ Estatísticos.

§ Geógrafos.

§ Energia.

§ Sociólogos.

Legal, né? Parabéns pra eles.

Hoje eu vim falar de uma coisa muito especial, a amizade:

Substantivo feminino.
1.Sentimento fiel de afeição, simpatia, estima ou ternura entre pessoas que geralmente não são ligadas por laços de família ou por atração sexual:
2.
Estima, simpatia ou camaradagem entre grupos ou entidades:
3.
Pessoa amiga; amigo:
4.
Vinculação de caráter exclusivamente social; relações:
5.
Mancebia, concubinato; amasio.
6.Entendimento, fraternidade:
7.
Benevolência, bondade:
8.
Dedicação de certos animais ao homem:

Acreditem, a amizade é bem mais que isso. É aquilo que te faz pagar micos, comprar brigas e ganhar um olho roxo por vezes. Aquela coisa grudenta e nojenta que faz você suportar aquele fedor de CC e abraçar verdadeiramente o seu amigo após ele ter corrido 800m na prova de atletismo e ainda ter ficado em penúltimo.

Eu estava conversando ontem com uma amiga minha e então ela falou sobre a minha amizade com outro amigo meu o Felipe do www.ideiasvolantes.blogspot.com . Eu até entendo o fato dela falar isso, pois eu e o Felipe somos pessoas MUITO diferentes, mas por alguma razão simplesmente somos grandes amigos.

É por essa e muitas outras razões que eu acredito que sim, vale a pena lutar por uma amizade verdadeira, uma amizade que não possui pretensões, que sejam apenas duas pessoas que pela mais estranha razão apenas sorriem ao estar uma ao lado da outra, mesmo que exista uma tela na frente delas.

Então obrigada a vocês: Jonas(s), Felipe(s), Luiza(s), Gabriel(s), Rafael(s), Thiago(s), Vinícius(s), Juliana(s), Letícia(s), Adriano(s), Yasmin(s), Rayssa(s),Fernanda(s)Marcos(s), Fábio(s), Júlio(s0, Alines(s) Neném(ns), Bruna(s), Larissa(s), Bárbara(s) e tantos outros que eu não poderia descrever aqui. Obrigada por estarem comigo, me fazerem rir, me escutarem e por me ensinarem que há sim, várias formas de se amar uma pessoa.

Disse ta dito. :*

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Coloridos


Oi, galera. Misturei activia com balões coloridos e caguei o Cine e o Restart. –mentira.

Sim, hoje, eu vou falar sobre os coloridos.

O jovem, costuma pertencer a uma tribo, um grupo o qual o diferencia da sociedade, mas que ao mesmo tempo faz com que ele seja parecido com os outros indivíduos do mesmo grupo. Normalmente isso acontece porque ele normalmente está revoltado demais para querer se enquadrar na sociedade, mas ao mesmo tempo não quer ser o único a ser diferente, ou até mesmo, pra chamar atenção.#fato

Acho que esse é o quadro dos coloridos, chamar atenção. É muita cor, MUITA cor. Mostrar que eles são obrigatoriamente diferentes de nós, pobres mortais que temos pena dos olhos dos outros, mas ao mesmo tempo, eles também não querem serem os únicos a dar uma de arco-íris.

Até aí tudo bem, o problema é quando certas coisas começam a acontecer.

Tudo bem você gostar de usar roupas coloridas, tudo bem gostar de Cine ou Restart, mas lembre-se: Português é uma matéria importante e boa música não afeta os seus neurônios.

video


Disse? Tá dito. :*

sexta-feira, 21 de maio de 2010

7 Dias de Abstinência


Vamos falar de um assunto sério. Algo que está presente na vida de 50% da população do nosso país. A internet. Como nós temos a ‘‘mania’’ de sempre ver o copo meio vazio, alguns dizem: “Meu Deus, o Brasil é um país tão pobre que a metade da população nunca utilizou a internet”.

A Internet na vida dos Jovens é algo ainda mais presente e os casos de adolescentes viciados na mesma aumentam cada vez mais. Você acha que não? Vamos imaginar que você, querido leitor(a), talvez tão viciado(a) quanto eu, passe uma semana sem a tão amada internet, sabe o que irá acontecer? Irei te ajudar, vou descreverei o que acontecerá em cada um dos 7 dias.

Primeiro, uma introdução, o porquê de ter que ficar uma semana sem internet, a maneira mais comum. O bom e velho castigo. Notas vermelhas, a sua mãe não vê outra solução, a não ser tirar de você seu principal motivo de alegria.

1º Dia- Você está super entusiasmado, acha que isso vai fichinha, uma semana, só isso? Mentalmente você até ri da sua mãe por ela não ter te dado um castigo pior. O dia passa rapidamente e você nem sente falta, mas lembre-se ainda faltam 6 dias.

2º Dia- A sua confiança continua imbatível, e para não se sentir tentado, você fica longe das conversas que envolvam Orkut, Twitter, Facebook e Fomspring. O problema é que tem sempre alguém que chega e fala: “Você viu? O Orkut da Juana tem várias fotos dela com o Rafael”. Mas tudo bem, você apenas se afasta e a vontade de entrar no sue Orkut e olhar aquelas fotos, passa rapidamente.

3º Dia- Você está realmente caindo na real, já não adianta mais se afastar das conversas. Sua crise de abstinência começou e como todas, não muito bem. Você tenta ler um livro, desenhar, passar recadinhos para todos da sala, como se fosse um MSN, mas a sua professora saca a tua e você sai de classe. Você até pensa que o seu castigo foi bem escolhido.

4º Dia- O seu humor começa a se modificar pouco a pouco, você começa a ficar triste, mas seus amigos não reparam, talvez você finja bem, ou eles estão muito ocupados pra reparar em você. Só de passar na frente de um computador a sua aflição aumenta. Mentalmente você já xinga sua mãe por ter feito isso com você. Você começa a não dormir tão bem.

5º Dia- Você está arrasado, sua aflição é tamanha que até todos à sua voltam ficam tristes também, e quando lhe perguntam o que foi, após a sua resposta dizem: “ Ah deixa de besteira, uma semana, só isso?”. Adivinha o que acontece agora? Lentamente a sua aflição vai se tornando raiva. E você ainda dizia que não era dependente?

6º Dia- Você não está pra ninguém, qualquer coisa lhe tira do sério, é como TPM, mas nesse caso a sigla seria ADN (Abstinência de Internet). Você sem dúvida enfiará um soco na cara do próximo idiota que falar em QUALQUER coisa relacionada à internet. Dormir? Isso é um privilégio que não tem a muito tempo.

7º Dia- Vamos lá, se anima, um diazinho, só, você consegue, não desiste cara. Nesse dia você está frágil, feliz, mas frágil. Todos à sua volta já compreenderam a sua situação, vamos, não desista. Você acordou mais cedo que o normal, afinal, você nem dormiu, são 4 horas da manhã seus pais estão dormindo, lentamente você desce as escadas, liga rapidamente o computador, e novamente pode-se ver a alegria nos seus olhos, tão encantado você esquece da hora. E como a Lei de Murphy existe, a sua mãe levanta ás 6 para te acordar, olha no seu quarto e ops... Você não está lá. Ela desce lentamente os degraus e se aproxima do quarto onde o computador fica, mas antes dela chegar lá ela escuta, a prova que você violou as regras dela, o som de uma nova sms no MSN.

Ela não proíbe mais só uma semana, ela te proíbe de chegar perto do computador durante um mês, arranca o modem e o cabo, te xinga de todas as coisas possíveis, e como se nada tivesse acontecido, sobe as escadas e volta a dormir...


Disse? Tá Dito. :*

terça-feira, 18 de maio de 2010

Ciclo (quase) inacabável.

Sugiro que leia esse texto enquanto escuta Fuck you da Lily Alen, quando terminar dê uma pequena olhada na tradução da música.

Eu pensei bastante no que escrever hoje, mas de fato não saiu nada, então me veio a brilhante idéia de misturar com activia. -n. Lembrei-me então de um acontecido que ocorreu na semana passada. Dia 13 para ser mais exata. Um dos meus professores, vamos chamá-lo de José, achou muito interessante fazer pouco da minha pessoa e do meu posto como líder de sala para brincar com uma das minhas amigas. Realmente fiquei muito triste com isso, não pela humilhação, mas por saber que alguém como ele ensina adolescentes.

Creio que todos vão para escola para aprender. E estamos lá para isso. Não para sermos julgados por pessoas que convivem menos de duas horas por semana conosco e que não tem a mínima noção da vida que levamos ou do oficio que exercemos.

Acho que o nosso país é como é porque pessoas como o José, acham que são capazes de educar, quando os mesmos nem educados são. Por isso acho que uma coisa é ser professor outra é ser educador. Um educador, se preocupa com seus alunos e ao menos, lembra por algumas vezes que os mesmos são pessoas, com sentimentos, sabe? Acho que os diretores deveriam prestar mais atenção nesse aspecto.

Por fim, gostaria de pedir a você, senhor José, que pegue a sua graduação, sua especialização e seu mestrado (coisas que te fazem se sentir tão superior) e deixe isso de lado por um segundo, nesse único segundo você poderá ver o que há verdadeiramente dentro de você: nada. Pois a única coisa que mantém a sua existência é mostrar-se melhor que cada um de nós que estamos naquelas cadeiras. Você realmente acha que isso vai nos fazer pessoas melhores? Deixe que eu responda: não.Então, rezarei, para que os anos se passem rapidamente e você, logo se aposente e frustre seus filhos, em vez dos filhos dos outros, não que eu não tenha pena dos seus filhos, mas muito provavelmente serão como você, e o ciclo não acabará. Até que alguém realmente faça alguma coisa e eu pretendo fazer.Ameaça? Não, isso não é uma ameaça. Isso é o retorno por cada lágrima que rolou no rosto de seus alunos, por cada chama de raiva que nunca apagou-se do peito de cada um.

Disse? Tá dito. :*

segunda-feira, 17 de maio de 2010

No princípio Deus disse: "Faça-se a luz!


Olá,
Como primeiro post do blog, eu pensei em falar sobre algo especial. O porque desse blog ter sido feito.
Eu, graças à Deus, possuo vários amigos e alguns deles, os mais queridos, já vinham tirando a minha paciência a um certo tempo para que eu, Camila, fizesse um. Quem me conhece já sabe, paciência, pra mim, só o jogo, e olhe lá. Acho que por não aguentar a repetição desnecessária dos pedidos acabei fazendo-o. Olha, sou uma boa amiga, não? Não respondam.
Então, vamos aos agradecimentos.

Obrigada @felipegameleira , @luiza__ , @JonaasF , @thiagueirass e @adrianodantasjr .

Alguns deles realmente não sabem que fiz esse blog, mas de certa forma me inspiram com o seus próprios.
Bem, sem mais delongas, declaro aberto esse espaço para fins de divertimento, revolta, tristeza alheios.
Disse? Tá Dito. :*